28 janeiro, 2017

Tudo colorido

Minha casa era branca, igual um hospital. Tudo branco, sem cor, sem vida. Samuel amava, mas eu não me sentia em casa, sabe? Papel de parede não ia durar um dia aqui com a minha mania de TOC, como que lava papel de parede, brasil??? Aí deu a louca e desandei a procurar uma forma de colorir minha vida, até que descobri esses adesivos que se sujam, dá pra usar até CIF cremoso.
Gente, liguei pra Tati a dona da empresa que vai pro ceu pela paciência que teve comigo e fiz da vida dela um inferno, ela fez 374 simulações até chegar em todas as padronagens que eu queria e deu a loca aqui, saí instalando adesivo na casa toda. Gente, que maravilha. Adesivei a sala, meu quarto, o teto do corredor e a cozinha. Agora a casa parece um circo, mas ó: tá a minha cara.
E o melhor: Posso limpar que não desbota, não desgruda e não sai.


 



08 agosto, 2016

Bolsa pra passeio - o que deve ter?



Duas crianças e eu ainda levo bolsa pra todo lado. Não desfraldei Francisco e, por isso, carrego uma tralha. A lista que colocarei é bem pessoal, mas serve de base para quem não sabe o que levar.

João tem 7 anos e Francisco tem 2 anos

Bolso grande da mochila:

2 Garrafinhas Thermos com água
1 Pote com biscoitos ou duas frutas

Lenço Umedecido
4 Fraldas
Trocador
Uma fralda de pano branca - uso para secar os meninos ou usam pra sentar quando estão muito sujos
Roupas - uma camisa e um casaco pra João, uma troca de calor e uma troca de frio para Francisco
Saquinho impermeável para roupas sujas
Brinquedo - Um bloco e papel, estojo giz de cera e um livro
Quando bebê eu levava o Sling e uma mantinha.

Bolso de fora:

Antialérgico pra João - que é extremamente alérgico a gatos
Antitérmico
Documentos + carteirinha do plano de saúde
Bisnaga com álcool em gel

E aqui um parêntese para outras mães:


Mães que dão mamadeira é recomendado um dosador com 3 medidas de leite e duas mamadeiras com água em temperatura ambiente ou duas mamadeiras vazias e uma garrafa térmica com água aquecida.

Mães de crianças que usam chupeta levar dois portas chupetas com uma chupeta em cada e, se possível, lenços umedecidos para chupetas.

Mães que usam pomadas anti assaduras levar uma bisnaga

Fim.

Levo uma muita coisa? Sim. Antes sobrar do que faltar, né?






24 julho, 2016

Quarto Harry Potter - INSPIRAÇÃO

Kaycee e Casey  são apaixonados por Harry Potter e fizeram um quarto inspirado em Hogwarts pro bebê - Inveja define- ficou lindo, maravilhoso e estamos desmaiados querendo filhos pra fazer igual.
O artista Nathe Baranwski pintou as paredes iguais às de Hoqwarts e três janelas 3D com a vista para os jardins da escola que mais parece um sonho. Quero minha casa inteira, minha vida, meus sonhos assim.

 


 



22 julho, 2016

É preciso aceitar que crianças existem (e choram)

Se tem uma coisa que me incomoda profundamente é ler relatos de mães que se sentiram envergonhadas por causa do choro dos filhos durante vôos, mães que preparam 850 pacotinhos de bala acompanhados de pedidos de desculpas adiantados por uma possível birra. O motivo do meu incômodo primeiramente vem pela minha formação como comissária de bordo em saber o quanto a pressurização incomoda os adultos e, principalmente, as crianças. Vem por eu ser mãe e entender que sim, crianças choram e vão chorar no local em que você mais precise que ela fique quieta, aí você fica nervosa, a beira de um ataque de nervos e o choro só aumenta, você vai querer enfiar uma rolha na boca da criança, jogar ela pela janela do avião ou mudar de poltrona e fingir que não a conhece, que foi despachada por engano, mas quanto mais as pessoas gritam "shhhhhh", mais a criança berra. E é assim desde que nos entendemos por gente. Sempre vai ter aquela tiazona que vai soltar um "não é possível que não conseguem controlar essa criança", "os meus filhos nunca fizeram isso" ou "se fosse meu filho ia ver só". Mas ó: tudo mentira, provavelmente os filhos dela descascavam as paredes da aeronave, ok? E se acalme, é preciso passar segurança para a criança.

Eu sou acostumada a viajar, amo voar e sinto prazer em estar no alto. Mas toda vez que piso em um avião e ele fecha a porta eu rezo por todas as religiões possíveis para que eu chegue viva ao meu destino - faço isso com carro e elevador, não quero morrer, me julguem. E mesmo com esse costume, sei que é um ambiente propício a desconfortos. E nós, adultos, precisamos acolher essas famílias. Ninguém viaja com bebê despreocupado, aquele responsável provavelmente está com cinco quilos de giz de cera, um tablet com todas as temporadas da galinha pintadinha, xuxa, patati patatá e 32 gigas de aplicativos infantis, muita comida, fralda, leite, 9 trocas de roupa e fez 15 sessões de terapia pra conseguir embarcar com a criança. Porque não é fácil. Nunca é. E todos sabemos disso, mas é só apontar uma criança na entrada que os narizes se torcem e cada passageiro com a poltrona ao lado vaga começa a pedir a Deus para que aquele assento não seja ocupado por aquele mini terrorista.

Em Outubro do ano passado pegamos um voo de Detroit pra Las Vegas, um voo de quatro horas em que eu já entrei exausta. Nossos assentos eram os últimos, o meu da janela e quando eu vejo lá na frente uma criança de um ano vindo em minha direção. Eu, mãe de duas crianças, falei com Samuel: "Do jeito que eu sou azarada essa criança vai sentar do nosso lado". Óbvio que sentou, né. A mãe, jovem como eu, estava de mudança pra Vegas na cidade do namorado, era possível ver a tensão nos olhos dela e minha culpa me invadiu naquele momento, tudo o que ela precisava era relaxar. Eu não converso em inglês nem por um milhão de reais, me vi obrigada a conversar com aquela mãe. Expliquei que tinha um filho na mesma idade e que era uma criança super agitada, que se ela precisasse de ajuda poderia contar comigo e tentei ao máximo ajudá-la a entreter aquela menininha durante nosso trajeto. Depois de uma hora a menininha, Jessica, começou a choramingar. Era claro que ela estava com sono, apenas sono. Samuel dormia feito pedra e ouvi vários "sssh's". A mãe incomodada me disse que iria ao banheiro e levou a criança, lá ela ficou por duas horas. Duas horas dentro de um banheiro com uma criança, por nada mais que medo de incomodar. Vocês tem noção do que é isso? Não me desce, não consigo imaginar o motivo de um adulto ficar soltando indiretas para que a criança se cale. Essas pessoas acham mesmo que os pais querem que o filho chore? "Vai filho, chora mesmo, berra, urra, chora mais, tá pouco". Porque não é assim, nunca será.

Eu já fui criança e lembro muito bem do meu pavor ao entrar em elevadores, das minhas birras quando contrariada. Lembro da minha mãe falar que morria de vergonha, lembro do meu sentimento de querer ser atendida e não saber o que falar. Mas lembro principalmente de ter aprendido a me comportar em público, a socializar de forma considerada aceitável, a me comportar a mesa, em restaurante, com a prática. A cada vez que eu frequentava ambientes diferentes, mais eu aprendia. Claro que hoje eu ainda sinto vontade de deitar no chão, berrar e bater os pés (isso acontece muito em vôos, onde quebram minhas malas ou atrasam), mas me controlo. Porque cresci, igual a todos nós e igual a essas crianças que um dia crescerão e eu vou torcer pra que não se torne a tiazona que torce o nariz.

Ah, uma dica: inventaram uma coisa super legal chamada fone de ouvido, você liga ele no buraquinho do seu telefone e coloca músicas, pode colocar até as músicas da igreja ou Padre Marcelo Rossi cantando Erguei as mãos. Não se esqueça de colocar seu telefone em modo avião, ok?

20 julho, 2016

Joca faz 7, Cisco faz dois e um café da manhã delícia

Amo aniversários. Comemoro nem que seja com um bolo e pão de queijo, pois acredito que cada dia mereça ser comemorado. Esse ano no dia do aniversário de cada um eu cantei parabéns, do Joca fiz uma festa do pijama, e foi delícia. Como nossas famílias são de longe e de cidades distintas, eu trabalho todo santo final de semana, resolvi fazer um café da manhã aqui no prédio pra família e alguns amigos. Joca fez a lista, preparamos tudo com muito carinho e com o capricho de muitos parceiros. 
Teve personalizado de um monte de gente linda, docinhos deliciosos, um bolo do jeito que eu desejava, carrinho de realidade virtual que foi o sucesso da festa, futebol, um cantinho pros pequenos, muita gente querida e os meninos ainda ganharam uma música. Vocês tem noção? Antes do parabéns a Babita e a Tatá cantaram uma música que fizeram pra eles. Foi emocionante, lindo e inesquecível.
Vou deixar os contatos de todo mundo que ajudou esse dia a ser perfeito, são pessoas que vocês podem confiar!
Foi um dia em que recebemos tanto amor, mas tanto amor, que me emociono só de lembrar.



































Fotos maravilhosas: Luciana Guirlanda Fotografia
Bolo gostoso, lindo e fofinho: Ana Paula - Torteriana
Docinhos prediletos da vida, doce de leite ninho e brigadeiro: Thalyta Ferreira 
Montanha Russa virtual que nos alegrou muito, foi o sucesso: Space Car Montanha Russa
Móveis provençais, suqueira e caixa de som com repertório infantil que tocou o tempo todo e fez as crianças dançarem: Jane Rocha
Os personalizados foram feitos por quatro pessoas queridas:
A Glau Oliveira mandou pirâmides, caixinhas e tudo com muito carinho lá do triângulo mineiro direto pra BH. Tudo feito com muito amor!
A Isabella da Affetto Personalizados fez caixinhas de sushi com fundo chevron cinza e laço amarelo, a minha mistura de cores preferida.
A Aline, mãe de três, da Kustomizados Kids fez muita coisa linda. Fez esse apliques pra tubetes, adesivos pras estrelinhas, topper pra docinho, latinha com os stormtrooper em pé (eu a-mei essa), fez os bonecos que ficaram na mesa, copinho onde coloquei mousse de morango e tudo com as embalagens da Fênix Embalagens, a loja de embalagens com o melhor preço de BH e região.
Camisas dos meninos com a estampa que eu queria: Jojo Baby

Gratidão a vocês, queridos. Nosso dia só foi perfeito graças ao trabalho impecável de cada um!

01 julho, 2016

Joca e Cisco

Há tempos não escrevo pra vocês, meus meninos. A intensidade da vida não tem me permitido parar e pensar, mas hoje parei, os observei por longos minutos enquanto dormiam, agradeci por ser mãe de vocês e ter aprendido tanto em tão pouco tempo.
João, mergulhado naqueles cachos, rosto sereno e a pele límpida. Me lembrou São João naqueles estandartes do mês de junho na casa do Vô Cintico, eu observava aquele menino do cabelo cacheado cercado se flores e achava a coisa mais linda, o vento o levava de um lado para o outro enquanto as faíscas saíam da fogueira. Ainda lembro do cheiro da brisa que vinha daquela estrada de terra batida. E assim você veio, meu menino de junho, de cachos e de flores. Veio pra me mostrar que coração puro vale mais que ouro, incenso e mirra. E eu só quero que você espalhe toda essa bondade por esse mundo que anda tão caduco. Bondade nunca sai de moda, meu amor. Por mais difícil que seja sobreviver a tanto asfalto, brote e vire flor. Os bons precisam da sua companhia.
Francisco, que espalha amor e sorrisos sem precisar pronunciar nem uma palavra. Intensidade. Mãos grandes, braços fortes e sorriso largo. Sua mão não estava limpa, nunca está. Você abriu os olhos, deu aquele sorriso que ilumina nossos dias e voltou a dormir. Confesso que seu gênio forte bate de frente ao meu, somos tão iguais. Mas ó: o mundo se alegra por onde você passa, meu furacão. Eu e seu pai nos orgulhamos de ver você andando pelos corredores da escola distribuindo beijos e abraços. Você é feito de amor e força, você veio pra me mostrar que eu não controlo o destino e que a vida fora do controle é linda, linda e linda.
Meus meninos, futuros homens, que a vida os guie para seus caminhos, com amores, o som das gargalhadas da nossa grande família a mesa durante um almoço de domingo na roça lá de Bom Despacho, com pés sujos e terra, música e balanços. Que vocês sejam felizes com as escolhas de vocês, mas sempre saibam que estamos aqui. Eu e o pai de vocês. Juntos. Sempre. Nós. Quatro. E o mundo todo.

Com amor,

Mamãe

03 junho, 2016

Fica esperta

- Mamãe, até na televisão naquele filme bonito (o começo da vida) fala que é importante ter irmãos.
- Concordo, Joca. Por isso você já tem o Cisco.
- Mas mamãe, quanto mais irmãos melhor. Eu quero só mais um. Pra ficar justo. Você tem dois irmãos, o papai tem dois irmãos e eu terei dois irmãos.
- Filho, agora a mamãe não pode. Não temos espaço, nem casa, nem dinheiro, sem contar que a mamãe quer uma gravidez feliz, sem medo de falta das coisas. Entende? Quem sabe daqui 10 anos? - Mamãe, você pode ter um parto no sofia com a raquel que não gasta dinheiro e eu posso te dar o meu dinheiro, o nenem pode usar as roupinhas e as fraldas do Cisco, pode dormir na cama com você ou na minha cama, eu durmo com o Cisco, tem espaço sim. E se você fizer um neném eu vou ficar mais feliz do mundo, aí vai ser feliz!!! E você dá leite do peito que aí ele fica forte e não gasta dinheiros.
- É filho, você tá certo. Mas pros adultos é muito mais complicado.
- Que besteira, pra que isso?
- Coisa de adulto, amor.
- Tudo bem, enquanto isso eu vou dormir com o neném. Mas logo meu novo irmão vai chegar, até os cientistas falaram que faz bem. Fica esperta, mamãe.